quarta-feira, agosto 25, 2010

sexta-feira, agosto 20, 2010

"Há casas e Casas"

Em equilíbrio...!
Desta vez, não resisti...! Parei para fotografar esta casa que sempre desperta a minha atenção, de cada vez que por ali passo, pela forma como se apresenta, totalmente desenquadrada das restantes . Fachada insólita, que nos provoca algumas "tonturas", mesmo sendo observada do outro lado da rua, como foi o caso...!
- Provavelmente existiram cinco projectos para esta fachada... - Ei-los !
GOSTO *
fotografia/teresinha - Chamusca/Ribatejo

segunda-feira, agosto 16, 2010

Eça de Queirós

Natural da Póvoa do Varzim, José Maria Eça de Queirós nasceu a 25 de Novembro de 1845. Filho natural, passou a infância afastado dos pais que só muito mais tarde o legitimaram. Seguindo a tradição familiar, estudou Direito, formando-se em 1866, em Coimbra. Depois de uma viagem ao Oriente, abraçou a carreira diplomática, tendo sido cônsul de Portugal em Havana, Newcastle, Brístol e Paris. Casou em 1886, o que o fez afastar-se um pouco da geração revolucionária, de que faziam parte Antero de Quental e Teófilo Braga.
Considerado como um dos maiores prosadores portugueses, na sua obra transparecem as influências do romantismo e do realismo.
Em 1871, colaborou com Ramalho Ortigão em As Farpas, crítica à sociedade portuguesa desse tempo. O Primo Basílio e O Crime do Padre Amaro, os seus primeiros romances, marcaram a sua preferência pelo realismo. No livro O Mandarim, deu largas à sua fantasia, descrevendo temas de costumes exóticos. A Relíquia, Os Maias, A Ilustre Casa de Ramires, são outras tantas obras-primas da literatura Portuguesa, que ainda hoje o colocam entre os maiores nomes das letras do nosso país e entre os melhores romancistas europeus do seu século.
Eça de Queirós morreu em 16 de Agosto de 1900, e as personagens dos seus livros permanecem vivas na nossa imaginação.

C`est Arrivé Ce Jour-lá/Jacques Gabalda - Tradução e adaptação /M. Salomé Soares
Imagem/Internet

domingo, agosto 15, 2010

Festas de Santa Maria 2010

UM MILÃO DE FLORES EM ERMIDAS, debaixo do SOL
A ARTE, EM PAPEL NUMA PROFUSÃO DE CORES... "Passeio", com alguns elementos da Tunasas, pelas ruas de Ermidas
A sombra, fez-nos companhia durante o percurso
A caminho do baile, junto ao Chafariz..
fotografia/teresinha